NACIONAIS

Golpe no WhatsApp usa tema do PIS e alcança centenas de milhares de pessoas
Golpe conseguiu chegar a 116 mil pessoas em 24 horas, segundo a fabricante de antivírus brasileira PSafe. Fique atento!!




Site falso faz perguntas para que usuário acredite que dados do benefício serão mesmo informados (esq.) e divulgação do golpe nas notificações do celular (dir.). (Foto: Reprodução/PSafe)

Um novo golpe que circula pelo WhatsApp e promete informar o saldo e facilitar o saque do benefício que o brasileiro tem a receber pelo PIS-Pasep já conseguiu chegar a 116 mil pessoas em 24 horas, segundo a fabricante de antivírus brasileira PSafe. O ataque também está "ganhando escala rapidamente", segundo o alerta da companhia.


Assim como muitos outros sites falsos divulgados pelo WhatApp, este também tenta convencer a vítima a divulgar o link do site para amigos no WhatsApp -- 30 amigos, nesta fraude. Antes disso, o site faz algumas perguntas, tais como "possui cartão cidadão para realizar o saque do benefício?", para tentar ganhar credibilidade. O site também utiliza elementos visuais para imitar uma página da Caixa Econômica Federal, mas tudo é falso e o site não tem condições de informar quem tem direito ao benefício.


Além de divulgar o link no WhatsApp, a PSafe observa que os criminosos utilizaram "notificações" para chegar às vítimas. Essas notificações são autorizadas dentro do navegador do celular e a base de usuários foi construída a partir de outras fraudes no WhatsApp, que pediam permissão para receber essas notificações. A empresa estima que até 100 mil pessoas podem ter autorizado o recebimento dessas mensagens.


Golpe (Foto: Reprodução/Whatsapp)

É recomendado que sejam ignoradas tanto a mensagem no WhatsApp como as notificações. Caso o golpe tenha chegado por uma notificação, é necessário acessar as configurações do navegador para desativá-las. No navegador Chrome no Android, é preciso acessar menu três pontos e "Configurações". Depois, deve-se acessar o item "Configurações de site" e em seguida "Notificações". Na dúvida, é recomendado eliminar todas as notificações que estejam como permitidas.


(G1.com)









COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



NACIONAIS  |  31/08/2020 - 13h