DESAPARECIDOS | Caso Samila

Caso Samila: Padrasto apresenta sua versão sobre o desaparecimento da adolescente
Padrasto, a mãe e uma vizinha contaram detalhes em entrevista exclusiva ao Giro; Todos estão convicto de que a adolescente fugiu de casa.




Samila Vaz Garcia, de 13 anos.

O padrasto e a vizinha da jovem Samila Vaz Garcia, de 13 anos, que desapareceu no dia 20 de setembro de 2019, deram entrevista exclusiva ao Giro e revelaram suas versões sobre o caso. A vizinha não considera que a menina esteja desaparecida, mas sim que a jovem teria fugido da residência dos pais, logo que esta não seria a primeira vez que Samila sai de casa.

O Padrasto, José Gomes Lima, conhecido como Miúdo, revelou que no dia do suposto desaparecimento, teria levado a jovem para o postinho de saúde onde a mesma iria passar por exames, e pediu para que ela, após sair do posto, fosse para a casa de uma tia. Posteriormente, seguiu para comprar peças para sua moto que estava quebrada. Comprou os rolamentos, mas como não havia oficina aberta resolveu ele mesmo instalar as peças no veículo. 

Depois de consertar a moto, Miúdo disse que ter ido 'ver um serviço', pois um homem teria contratado para trabalhar para pagar um motor que José tinha comprado. Quando saiu, por volta das 10h, foi até a casa da tia da menina para procurá-la e percebeu que não estava, por isso foi na residência de outra tia, mas estava fechada. Em seguida, ele conta que procurou na casa da avó, porém, a jovem não estava. Então, resolveu retornar para casa, quando chegou percebeu que Samila, que estava com a chave da residência, tinha passado por lá e tinha pegado suas roupas e documentos. Uma vizinha, não identificada, confirmou que teria visto ela na residência.

"Agora não sei se saiu pelo fundo, porque lá a cerca é arrebentada e não mora ninguém por atrás, procurei e não achei, fui procurar a mãe dela, que veio no ônibus dos alunos, aí fui na chácara, mas não achei ela de novo. Encontrei a mãe dela na rua já procurando a adolescente, aí ela foi na moto comigo para a casa da cunhada dela e a noite continuamos procurando, mas não achamos", acrescentou.

Pais de Samila. (Foto: Alécio Freitas/ Portal Giro)

José afirmou que no outro dia, quando retornou na casa, em Caracol, identificou alguns rastros, aparentando que a mesma tinha retornado, talvez para buscar algo que havia esquecido, mas ela não conseguiu entrar na residência, porque haviam trocado o cadeado. Além disso, uma conhecida da família afirmou que teria visto Samila no dia 20 de setembro, na garupa da moto de um homem desconhecido, que segundo informações, reside na Comunidade Três Bueiros, a cerca de 100 Km de Trairão. No momento que a viu, a menina teria gritado e acenado para a mesma.

"Até hoje não recebemos notícias dela. Aí o povo fica dizendo que eu andava com ela para cima e para baixo. Eles não pensam que ela estudava e eu trabalho? Será que eu vivia só para andar com ela? Ela pegava o ônibus todos os dias para ir até a cidade." destacou.

A vizinha de Samila, identificada como Daiana, que reside próximo a família em Caracol, ressaltou que a jovem era rebelde e que já tinha fugido uma vez e quando os pais foram atrás da menina a mesma teria dito que não adiantava, pois fugiria novamente.

"Esse pessoal está sofrendo muito por causa da população, tem provas de que ele a deixou lá no posto, tem testemunhas que viram!", finalizou.




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



DESAPARECIDOS  |  15/10/2020 - 19h





DESAPARECIDOS  |  22/09/2020 - 19h


DESAPARECIDOS  |  20/09/2020 - 20h