DESTAQUES

Cirurgia estética na Venezuela deixa mulher de Santarém em estado crítico
Mulher fez procedimento cirúrgico para implantação de próteses de silicone nos seios e teria pago R$ 13 mil para uma agenciadora.




Santarena está em situação crítica após procedimento cirúrgico mal sucedido.

Uma santarena, que teve sua identidade preservada a pedido da família, está em estado delicado de saúde após passar por um procedimento cirúrgico para a implantação de próteses de silicone nos seios. A cirurgia ocorreu no último dia 19 de outubro, em uma clínica na cidade de Margarita. No sábado (27), a paciente voltou para o Brasil, apresentando problemas por conta das complicações do pós-cirúrgico. A família da mulher está aguardando o laudo médico para registrar uma denúncia na polícia contra os responsáveis pela operação.

Clínica onde a santarena fez o procedimento.

A vítima sofreu infecção hospitalar, que afetaram ambos os seios, deixando-os totalmente deformados, apresentando inchaços e ferimentos nos mamilos. As imagens são chocantes e revelam a gravidade do estado de saúde da santarena, que será submetida a uma nova cirurgia, desta vez em um hospital de Santarém, para reparar o procedimento feito na Venezuela.

De acordo com informações repassadas ao Blog do JK, a santarena teria negociado com uma mulher para fazer a cirurgia plástica de abdominoplastia e colocação de próteses nos seios no país vizinho. Ela teria pago R$ 13 mil para a agenciadora, que assumiu a responsabilidade tanto pela operação médica quanto a estadia na Venezuela. Ocorre que lá chegando, a história foi totalmente diferente do que foi acertado no Brasil.

A moça, após ser internada na clínica e passar pelo procedimento cirúrgico, foi abandonada à própria sorte em um quarto de hotel, sem nenhum tipo de acompanhamento médico ou cuidados necessários em casos dessa natureza.

No mês passado, foi registrada mais uma morte de brasileira na Venezuela, durante cirurgia plástica. O caso despertou a atenção de autoridades e profissionais dos estados de Roraima e Amazonas, que estão se mobilizando para tentar coibir a prática de agenciadoras que aliciam mulheres com a promessa do “corpo perfeito” a um preço bem abaixo do que é cobrado no Brasil.

As agenciadoras chegam a cobrar de R$ 6.000,00 a R$ 13.000,00, dependendo do procedimento. O valor inclui o translado e pagamento das auxiliares de enfermagem após a cirurgia. Mas não foi o caso da santarena, que foi largada em um hotel.

A Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) já tomou ciência desses casos e está adotando medidas legais, solicitando, sobretudo das autoridades brasileiras, rigor nas fiscalizações na fronteira para identificar as possíveis agenciadoras.

Fonte: JK


Galeria de Fotos:





COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM