MEIO AMBIENTE

Reunião discute construção de aterro sanitário de alto padrão estrutural em Itaituba
O projeto está em fase de formulação de relatórios para a verificação da área onde será construído o aterro.




Reunião aconteceu nesta quinta-feira (30) no Paço Municipal de Itaituba. (Foto: Weslen Reis)

Em meio às diversas conquistas para o município de Itaituba, o Aterro Sanitário de alto padrão estrutural, com galpões de triagens, entra no rol de tais. O projeto, que está em fase de formulação de relatórios para a verificação da área onde será construído o aterro, já foi financiado pelo Banco CAF no âmbito do estado, e esteve em discussão nesta quinta-feira (30) no Paço Municipal.

A área, na qual será construído o aterro, fica localizada a cerca de 30 Km de Itaituba, nas proximidades da estrada denominada de Mamurú, e foi doado pela Incra em atuação da prefeitura municipal junto ao órgão. A previsão de licitação para execução da obra, está prevista para março deste ano e o prazo para a conclusão da obra é de até 8 meses.

Roberta Macedo, coordenadora de Desenvolvimento Urbano, explicou em entrevista que a área já faz parte do corpo da prefeitura municipal, e o estágio agora é de viabilidade de algumas ações de laudo de sondagem, verificação de solo e capacitação, juntamente com os catadores, para que sejam construídos galpões de triagens específicos.

Roberta Macedo, coordenadora de Desenvolvimento Urbano. (Foto: Weslen Reis)

"É um projeto completo que vai beneficiar todo o município de Itaituba, inclusive a área da sede. Só precisa agora alguns ajustes operacionais para que isso aconteça de fato", explicou.

Bruno Rolim, secretário municipal de Meio Ambiente, destacou a importância desta grande obra para o município de Itaituba. "É de grande importância para a Itaituba, a implantação do aterro sanitário. Poucos municípios no Brasil possuem um sistema adequado de gerenciamento de resíduos, com destinação adequada". 

Bruno Rolim, secretário de Meio Ambiente. (Foto: Weslen Reis)

Por outro lado, o prefeito Valmir também externou sua alegria por mais uma conquista obtida por meio de articulações, para Itaituba. "Isso foi uma conquista para o município. Nem Belém tem um aterro sanitário que vai ser tão moderno igual será o nosso", pontuou. 

Além disso, Valmir afirmou que a obra está orçada entre R$ 15 a R$ 20 milhões, e evidenciou acreditar que, de cada 10 caminhões que chegar no aterro, no mínimo, 5 voltem para industrialização. Já o material descarregado pelos outros cinco, serão colocados em tanques específicos para que sirva de adubo, após 15 - 20 anos confinados, para a produção rural. 

Prefeito Valmir Climaco em entrevista. (Foto: Weslen Reis) 

"Não é um lixo que vai dá um impacto dentro dos Igarapés. Vai ser feita uma seleção. Mais caminhão de lixo, mais funcionários. Em compensação, nós não vamos ter hoje o Rio Tapajós cheio de lixo, porque vamos montar sistema de câmeras para que as pessoas que não tiverem educação com o lixo, sejam penalizadas", comentou Valmir. 

Valmir Climaco finalizou dizendo que Itaituba foi muito bem elogiado pela equipe da Secretaria de Meio Ambiente do Estado e do Banco CAF, e acredita ser a obra, um grande avanço para Itaituba.





COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



MEIO AMBIENTE  |  20/03/2020 - 16h





MEIO AMBIENTE  |  12/03/2020 - 10h


MEIO AMBIENTE  |  11/03/2020 - 20h