CULTURA E ARTE

Boi Garantido vence Festival de Parintins 2019
Boi destacou lutas, alegrias e liberdade do povo e ganhou seu 32º título da história do boi-bumbá.




Boi Garantido é campeão do festival de Parintins 2019 — Foto: Divulgação/Secom

O boi-bumbá Garantido é o campeão da 54º Festival de Parintins. O boi da Baixa do São José venceu a segunda e a terceira noite do festival folclórico - e empatou a primeira. A apuração das notas dos jurados foi realizada na tarde desta segunda-feira (1º), na ilha localizada a 369 km de Manaus. Este é o 32º título da história do Garantido.


Com o tema “Nós, O Povo”, o boi-bumbá Garantido, que defende as cores vermelho e branco, defendeu na arena as lutas, as alegrias e a liberdade do povo brasileiro. Cada subtema foi desenvolvido nas três noites do festival folclórico.


Na primeira noite do festival, a última sexta-feira (28), o bumbá exaltou as adversidades com o subtema “O Boi das Lutas do Povo” ao falar das lutas pelo folclore.Durante a apresentação, o Garantido surgiu na galera – torcida - para dar início à festa. Logo, a cunhã-poranga – nome dado à índia mais bonita da tribo – completou o cenário.


Garantido abriu a terceira noite de apresentações do festival — Foto: Divulgação/Secom

“O Boi da Liberdade do Povo”


Com o subtema “o Boi da Liberdade do Povo”, mostrou em sua despedida um garantido histórico e engajado na luta pelo povo, fazendo belo uso do folclore como bandeira de luta do povo brasileiro pelo direito de se viver quem é. "Pelo fim da violência, do machismo e da homofobia".


O "boi encarnado" fez um clamor pela liberdade, que esteve presente na cerimônia das místicas tribais. Fez ainda homengaem ao cabloco amazônico na luta diária pela subsistência e resgatou bem as memórias do fundador Lindolfo Monteverde, como de praxe.


Exaltando a cultura, a liberdade folclórica e a tomada cultural que move o festival, o boi celebrou os "Sonhos de Liberdade" ao resgatar memórias de "Dona Xanda", mãe do terreiro histórico da Baixa do São José - casa do Garantido. A Sinhazinha surgiu após bela apresentação da vaqueirada em interação com o amo do boi ao convidar Garantido a descer à arena.


Ponto alto da noite foi a performance da lenda amazônica "Wadye, Devorador de Cunhça". Em grande noite, a cunhã-porganga Isabelle Nogueira venceu combate o sobrenatural e agraciou a galera com a comemoração.


Em um dos pontos mais emocionantes do festival o levantador Sebastião Júnior levou o público aos prantos - junto com o seu próprio - ao personar um belíssimo dueto com Márcia Siqueira ao puxar a toada "Rosas Vermelhas". A canção pede fim da violência e levanta bandeiras contra a homofobia e o machismo, além de exaltar a igualdade de gêneros.


Para selar a já grandiosa noite, o Garantido entregou ao público a execução do ritual "Palikur, o Triunfo da Luz", orquestrado impecavelmente pelo estreante pajé Adriano Paketá. Com tempo de sobra, o bumbá vermelho brincou de boi por longos minutos ao fim da apresentação. Era um bom presságio das comissões.


Fonte: G1 Amazonas







COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM