ALERTA

As revendas de veículos pagam a Tabela Fipe em um seminovo? Cuidados para não cair em pegadinhas
Como funciona a tabela? De onde vêm os dados coletados? Como ela te auxiliará na hora de adquirir um carro seminovo? Veja!




Imagem: Pixabay

A Tabela Fipe funciona com atualizações mensais e mostra a média de automóveis. São levados em consideração apenas o modelo do veículo, a marca e o ano. Os preços normalmente são baseados no valor efetivo da venda, e não no valor anunciado. Você pode consultar a tabela pelo site, de forma bem acessível.
 
Como a tabela é construída?
 
A Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas coleta todo mês os valores de venda de veículos. Dentre os dados coletados, são descartados os valores que estiverem muito acima ou abaixo da média do mercado, visto que podem ser resultado de negociações. Também não são levados em conta a cor dos carros, os acessórios que eles possuem e outros fatores. Vale ressaltar que o ano de fabricação não é levado em conta, e, sim, o ano do modelo. Entre os veículos envolvidos na pesquisa são excluídos os táxis, viaturas, ambulâncias e outros que não se enquadrem no uso comum.
 
De onde vêm as informações da tabela Fipe?
 
As pesquisas origina-se de 24 estados do Brasil e visando que nas inúmeras regiões do país o preço varia bastante, a tabela Fipe não deve ser usada de forma abusiva. Ela serve, apenas como uma base de referência. Além de ser usada na compra e venda de veículos, ela é útil para determinar o valor dos automóveis em seguradoras e para estabelecer o valor do IPVA.
 
Além disso, alguns fatores, como preços abusivos no mercado nacional e a ausência da tabela em algumas regiões, podem impedir o total dos preços. No entanto, a tabela segue com o conjunto de índices para filtrar valores de forma correta. Não à toa que ela é utilizada desde o ano de 1973 para auxiliar compradores e vendedores de automóveis.
 
O que deve ser levado em consideração ao comprar um automóvel seminovo?
 
É recomendável consultar a tabela Fipe para ter uma noção do preço de cada veículo. Além disso, é essencial que você já tenha definido quais são suas precisões. E, quando encontrar um modelo que lhe agrade, é importante verificar o estado de conservação do veículo, as documentações, o valor de revenda e os valores das manutenções.
 
Parece ser muitos itens a serem avaliados, justamente porque muitas pessoas acabam se tornando vítimas de golpes ou, no mínimo, perdem uma quantia significativa de dinheiro por não verificarem esses fatores.
 
Confira, a seguir, alguns fatores que devem ser levados em consideração ao comprar um automóvel seminovo.
 
As suas necessidades
 
Talvez este seja o fator mais importante ser pontuado. Afinal, se um veículo estiver com um valor acima da média, mas for o essencial para a sua situação, pode-se dizer que o seu investimento valeu a pena.
 
Por outro lado, se o veículo for um modelo comum, mas não oferecer o que você necessita, a "economia" será em vão. Veja alguns itens para você decidir pelo melhor carro:
 
  • Câmbio manual ou  câmbio automático;
  • quantidade de assentos;
  • categoria do carro: hatchs, SUVs, pick-ups ou sedans;
  • piloto automatizado;
  • motor;
  • tamanho do porta-malas. 
  • O estado de conservação do veículo
 Quando falamos em comprar um veículo seminovo, normalmente a primeira pergunta feita é sobre a quilometragem que ele faz e isso faz todo sentido porque ela tem relação com o grau de conservação do veículo. Avalie o interior, verifique bem a condição do painel, do volante, dos carpetes, dos estofados dos assentos e outros itens. Na parte externa, é conveniente verificar a situação da lataria, pois mesmo que ela não apresente nenhum sinal de desgaste, a parte inferior do veículo pode estar comprometida. Muitos outros fatores merecem atenção, e ainda há o risco da quilometragem ter sido falsificada.
 
A documentação
 
Imagine essa situação: Você acaba de encontrar um Hb20, sem nenhum amassado ou desgaste na lataria, com a parte interna toda conservada e o preço abaixo da Tabela Fipe. Só falta assinar os papéis de compra e finalmente sair  dirigindo, não é?
 
Nesse momento de euforia, muitos esquecem de verificar toda documentação com atenção. O que pareceu ser uma boa compra pode resultar em sérias dores de cabeça. A documentação pode estar atrasada ou ter multas pendentes. Para saber a condição da documentação, entre no site do Detran e realize uma busca usando os dados da placa e o número do RENAVAM do veículo.
 
Como a depreciação se relaciona à tabela?
 
Como a tabela oferece um valor de referência de acordo com os modelos e anos dos veículos, muitas das pessoas utilizam ela na hora de comprar e revender seus carros usados. Os valores aplicados também dizem muito sobre a depreciação adquirida por um veículo com o passar dos anos. Pode-se defini-la como a queda nos preços dos automóveis em decorrência a crise econômica, desgastes causados pela utilização o carro.
 
Caso você possua  um automóvel há mais de 10 anos, o valor  médio que você poderá cobrar em uma negociação deve-se levar em conta a depreciação que se sucedeu nesta década. É importante é lembrar que isso não se aplica somente aos seminovos, pois um carro zero, por exemplo,  já perde o valor logo quando saí da concessionária.

Carros mais resistentes à depreciação
 
Os veículos importados, de certa forma, sofrem rapidamente a depreciação. Já os nacionais, já são mais baratos do que a média, e normalmente mantém o seu preço por mais tempo. Quando se fala de seminovos, a desvalorização do automóvel é baixa caso a quilometragem ainda seja menor e o veículo esteja conservado.
 
É importante saber que os seminovos são os carros rodados por, no máximo, 2 anos. Depois desse período, eles passam a ser definidos como carros usados. Além de que, os SUVs e picapes sofrem uma depreciação mais rápida em relação aos veículos comuns, por conta de seus atributos específicos. Isso porque esses veículos atendem uma demanda menor de consumidores, chegando somente a 10% no mercado nacional. Nos maiores casos, quanto mais novo e bem conservado o veículo, melhor é o seu preço.
 
Gostou desse artigo? compartilhe em suas redes sociais para que mais pessoas saibam sobre os benefícios de consultar a Tabela Fipe antes de adquirir um automóvel!

Redator: Roberto Fragoso da Silva


Fale conosco ou participe do nosso grupo do WhatsApp




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



ALERTA  |   20/01/2021 08h26





ALERTA  |   12/01/2021 12h21


ALERTA  |   04/01/2021 14h47