SAÚDE

​Paciente de Itaituba tem alta após 55 dias de internação no Hospital Regional do Baixo Amazonas, em Santarém
Edilene de Jesus Moraes estava internada desde o dia 07 de maio na Unidade; Ela foi considera pela equipe médica como uma das pacientes mais grave a ser atendida com covid-19.




Edilene Santos Moraes (Foto: Reprodução)

A paciente itaitubense de 32 anos que foi transferida, no início de maio, para tratamento de covid-19 no Hospital Regional do Baixo Amazonas, em Santarém, teve alta na última quinta-feira (25). Assista ao vídeo abaixo.

Edilene de Jeus Moraes estava internada desde o dia 07 de maio. Ao todo, foram 55 dias de internação, dos quais 30 ela passou na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), entubada em estado grave.

Idenilda de Jesus Moraes, irmã da paciente, contou ao Giro que Edilene foi descrita pela equipe médica como uma das pacientes com estado de saúde mais grave em atendimento na unidade. Edilene precisou passar por uma cirurgia de traqueostomia - procedimento cirúrgico realizado para possibilitar a entrada de oxigênio em situações em que a passagem de ar está obstruída.

Ainda segundo Idenilda, devido a irmã ter passado muito tempo em coma, sem poder fazer movimentos e, por conta da  perda de suas funções renais (rins), precisando passar por hemodiálise, Edilene apresenta certa limitação nos movimentos. “Ela não consegue segura uma copo. Os dedos se mexem, mas ela não consegue ter firmeza para segura o copo. Da cintura para baixo ela não sente os movimentos.”, informou.

A recuperação dos movimentos deve ocorre de forma lenta, como informou os médicos à família da paciente e em 30 dias haverá um retorno à Unidade Hospitalar, onde Edilene deve passar por uma avaliação médica para saber como anda a evolução de seus movimentos.

Para Idenilda, já está havendo um progresso da mobilidade de sua irmã, pois, antes “tinha um movimentos que ela não fazia e agora consegue fazer, mas ainda não mantes uma firmeza na musculação. Ela faz os movimentos só que não tem firmeza”.

Em relação à alta médica da irmã, Idenilda afirma ter “gratidão a Deus em ter dado mais uma oportunidade vida a minha irmã”.

Edilene permanece na cidade Santarém, perto de suas duas irmãs, recebendo acompanhamento médico durante os próximos 6 meses, até estar 100% recuperada dos movimentos.

Veja o vídeo: 
 

Fonte: Portal Giro
 
 
 




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM