SAÚDE

​Videochamada aproxima pacientes de familiares no Hospital Regional do Tapajós
A medida foi adotada porque as visitas estão suspensas nos hospitais públicos para prevenir a disseminação da covid-19 no ambiente hospitalar.




Foto: Divulgação/ HRT

Chamadas de vídeos e troca de mensagens de mídia (áudios, fotos e vídeos) por aplicativo tem sido utilizado no Hospital Regional do Tapajós (HRT), para que os internados, tanto dos leitos da clínica médica e quanto da Unidade de Terapia Intensiva (UTI), consigam rever os parentes. A medida foi adotada porque as visitas estão suspensas nos hospitais públicos para prevenir a disseminação da covid-19 no ambiente hospitalar.

As videochamadas só são realizadas com os pacientes orientados e com a autorização do médico responsável. Todos os cuidados de desinfecção são tomados com os aparelhos eletrônicos, utilizando álcool 70% e filme plástico no tablet e celular a cada ação.

A medida ajuda a fortalecer a saúde mental dos pacientes, preserva as relações familiares e diminui a ansiedade. (Foto: Divulgação / HRT)

O envio das mídias e videochamadas são realizados e ajustados de acordo com o cenário e a rotina do HRT. Duas vezes na semana a equipe do setor psicossocial entra em contato com o médico responsável e, após autorização do paciente e do profissional, faz o contato com a família.

A iniciativa, além de ajudar a fortalecer a saúde mental dos pacientes, preserva as relações familiares e diminui a ansiedade e a preocupação da família que está distante. “As videochamadas ou ‘visitas online’ aproximam a relação entre eles, tendo em vista que o isolamento social é o principal critério desta pandemia. É primordial que a família participe deste processo. O paciente se sente acolhido e amado o que ajuda até na evolução do tratamento”, relata Patrícia Mesquista, psicóloga da unidade.

Outro fator destacado pela psicóloga é sobre a ação ser realizada na UTI. Devido o quadro clínico de alguns pacientes, a interação é realizada apenas unilateral ou seja, atende a um só lado, no caso apenas o familiar envia sua mensagem para que a equipe repasse ao paciente, incluindo as videochamadas, onde o familiar consegue ver em tempo real o internado.

Conforto

O paciente A. J. S, de 66 anos, foi o primeiro paciente a ser internado no HRT, há 21 dias. Ele conta que já está com saudade da família. Pai de cinco filhos, avô de 13 netos e bisavô, fica emocionado após ver a esposa por videochamada. “O pessoal aqui é muito especial, só de estar me recuperando já é bom”, falou.

Outras medidas também estão sendo adotadas neste momento da pandemia para humanizar o atendimento e ajudar no tratamento. Além do momento de interação virtual com os familiares, a equipe de assistência social do HRT encaminha todos os dias os boletins médicos onde consta o quadro clínico de cada paciente.

Fonte: Portal Giro, com informações Ascom do HRT




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM