SAÚDE

​Caps de Itaituba retoma suas atividades e ajuda na prevenção ao suicídio
A instituição retoma as oficinas terapêuticas, mas apenas com sessões individuais devido a pandemia da covid-19.




Caps voltou a atender nesta segunda-feira (21). (Foto: Ana Gamboa/Portal Giro)

Com suas atividades suspensas desde o início da pandemia de covid-19 no Brasil, em meados de março, o Centro de Atenção Psicossocial de Itaituba voltou a atender de forma presencial os pacientes nesta segunda-feira (21) e lançando a campanha “Setembro Amarelo”, de prevenção ao suícido.

Entre as mais 300 pessoas que são acompanhadas por mês pelo Caps está a dona Vera Maria Rodrigues Pinheiro, que tem recebido acompanhamento do CAPS há cerca de 10 anos. Ela iniciou o tratamento em Santarém e, após inauguração do prédio do Caps em Itaituba, a paciente continuou recebendo assistência psicossocial aqui no município.

“A gente tem que ter força de vontade. Comecei a entender que eu me trancar em casa e me esconder das pessoas, não era normal, então eu comecei a buscar tratamento. Hoje, participo das terapias e atividades sociais como corrida de rua”, diz Vera.

Apesar de retomar as atividades, a instituição está realizando atendimento apenas de forma individual, atividade como rodas de conversas, cursos e oficinas, então suspensas devido a pandemia da covid-19.

Atendimento em Saúde Mental

O Caps, que atende em um prédio localizado na 10ª rua do bairro Floresta, de segunda a sexta das 07h30 às 13h e das 14h às 17h30, realiza um atendimento especializado de transtornos mentais graves, moderados e persistentes, como depressão, ansiedade, transtorno afetivo bipolar, entre outros, e pessoas com quadro de uso nocivo e dependência de substâncias psicoativas.

Com o retorno das atividades, o Caps aderiu à campanha Setembro Amarelo, que debate mundialmente a prevenção ao suicídio, e neste ano traz um componente a mais como fator de risco para as questões ligadas à saúde mental, que é a pandemia da Covid-19.

Não é preciso encaminhamento para receber atendimento, basta procurar qualquer Unidade de Saúde ou ir diretamente no Caps que a pessoa será acolhida, orientada e direcionada para receber o apoio necessário, informou Gilmara Sampaio, coordenadora da instituição.

Campanha Setembro Amarelo

Desde 2014, a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), em parceria com o Conselho Federal de Medicina (CFM), organiza a campanha Setembro Amarelo, que marca também o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, lembrado todo dia 10 setembro.

Caps aderiu à Campanha Setembro Amarelo. (Foto: Ana Gamboa/Portal Giro)

No Brasil, cerca de 12 mil suicídios são registrados todos os anos e mais de 1 milhão no mundo. De acordo com a ABP, cerca de 96,8% dos casos estavam relacionados a transtornos mentais. Em primeiro lugar está a depressão, seguida do transtorno bipolar e abuso de substâncias.

Segundo o Secretário de Saúde de Itaituba, Adriano Coutinho, o não apoio familiar é o que mais dificulta as pessoas a receberem ajuda psicossocial. "O grande problema que nós encontramos para atender paciente psiquiátrico, é ausência da família. Quando uma pessoa da família começa a ter problema mental os familiares acabam abandonando e isso dificulta demais.", diz Adriano.

Fonte: Portal Giro




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM