SEGURANÇA

Vítimas de violência doméstica serão vigiadas por Patrulha Maria da Penha, em Itaituba
O projeto é uma parceria entre o Tribunal de Justiça, Ministério Público e outros órgãos para proteger mulheres vítimas de violência.




Patrulha Maria da Penha. (Foto: Reprodução)

Nesta quarta-feira (23), ocorreu a assinatura do Termo de Cooperação Técnica para implantação da Patrulha Maria da Penha em Itaituba. O projeto é formado por um grupo de policiais militares treinados para dar apoio e fiscalizar o cumprimento das medidas protetivas e segurança às mulheres vítimas de violência doméstica.

A iniciativa de implantação desse projeto na cidade deu-se a partir da preocupação do alto índice e formas graves de violências domésticas contra as mulheres de Itaituba/PA, que se agravaram durante a pandemia, quando o distanciamento social dificultou as mulheres vítimas de violência em formalizar as denúncias ou buscar apoio psicossocial, comentou Drº Agenor de Andrade.

A Adesão ao Programa Patrulha Maria da Penha em Itaituba, ocorre da parceria entre Vara Criminal da Comarca de Itaituba do Tribunal de justiça do Estado do Pará, Prefeitura Municipal de Itaituba, Câmara Municipal de Itaituba; Superintendência Regional do Tapajós da Polícia Civil do Estado do Pará/Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher – DEAM; e Comando de Policiamento Regional X – CPRX da Polícia Militar.

Além do Patrulha, a cidade já oferece outros projetos de ajuda a mulher, como o "Laços de Ouro" que iniciou em 11 de maio de 2020, implantando posteriormente outras ações e serviços de atendimento as mulheres como o SOS MULHER - que é o atendimento via telefone por ligação e WhatsApp, durante 24 horas e o SOS FARMÁCIA - que é o atendimento às mulheres em situação de risco, que apresentam o código "Máscara Vermelha", também implementadas pelo Juiz Titular da Vara Criminal, Agenor de Andrade.

Importante 

Se você estiver enfrentando qualquer situação de vulnerabilidade, é importante saber que você não está sozinha, nem é culpada pelo que está ocorrendo. Converse com pessoas de confiança, pesquise e, se sentir-se confortável com isso, denuncie. Denúncias anônimas também são válidas. Saiba como fazer isso:
 
  • Disque 180: Central de Atendimento à Mulher do Governo Federal (24 horas).
  • SOS mulher: (93) 991489206
Se você está escutando ou presenciando uma violência doméstica: Ligue imediatamente para 190 e peça para fazer uma denúncia. Você pode optar para fazer a denúncia anonimamente se quiser.

Fonte: Portal Giro




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



SEGURANÇA  |  04/10/2020 - 11h





SEGURANÇA  |  29/09/2020 - 16h


SEGURANÇA  |  28/08/2020 - 15h