ECONOMIA

Carne bovina consumida pelo paraense tem alta acumulada de quase 50%, aponta Dieese
Segundo o estudo, a tendência para o mês de novembro é de novas altas no preço da carne.




Foto: Reprodução

O quilo da carne bovina teve alta de 2,06% em outubro, em relação ao mês anterior. É o que aponta o levantamento divulgado na sexta-feira (20), feito pelo Dieese Pará e pela Secretaria Municipal de Economia (Secon) em açougues, mercados municipais e supermercados do Pará.

A alta de 2,06% no preço da carne bovina em outubro, revelado em levantamento do Dieese, eleva o reajuste acumulado em 2020. De janeiro a outubro, o produto subiu 7,3%, contra uma inflação de 2,95% (INPC/IBGE). Porém, o número mais expressivo está no acumulado dos últimos 12 meses, alta de quase 45%, contra uma inflação de 4,77% (INPC/IBGE)..

O balanço de preços do produto foi feito entre os dez meses deste ano e também dos últimos 12 meses.

O quilo da carne bovina teve alta de 2,06% em outubro, em relação ao mês anterior. É o que aponta o levantamento divulgado na sexta-feira, 20, feito pelo Dieese Pará e pela Secretaria Municipal de Economia (Secon) em açougues, mercados municipais e supermercados de Belém.

A alta de 2,06% no preço da carne bovina em outubro, revelado em levantamento do Dieese, eleva o reajuste acumulado em 2020. De janeiro a outubro, o produto subiu 7,3%, contra uma inflação de 2,95% (INPC/IBGE). Porém, o número mais expressivo está no acumulado dos últimos 12 meses, alta de quase 45%, contra uma inflação de 4,77% (INPC/IBGE).

Segundo o levantamento, em outubro de 2019, o preço do quilo da carne bovina de primeira (coxão mole/chã, cabeça de lombo e paulista) era vendido em média, no Pará, a R$ 20,89. Em dezembro daquele ano, o preço já estava bem maior, R$ 28,22. Dependendo da região do estado, o valor é modificado.

Em janeiro de 2020, houve pequena redução, a carne bovina sendo comercializada em média a R$ 26,46, comportamento que continuou em fevereiro, com o valor médio chegando a R$ 25,35. Em março, foi comercializada em média a R$ 25,08. Em abril, o preço variou para cima, a R$ 25,64. Em maio, nova alta, a carne sendo encontrada a R$ 26,87, não havendo mudança significativa em junho (R$ 26,99) e julho (R$ 26,85).

Nesse cenário, o gasto total da cesta básica, em outubro, atingiu o valor de R$136,26, considerando a previsão de consumo mensal da carne bovina por 4,5 Kg. O Dieese calcula que o valor gera um impacto em relação ao salário mínimo atual de 14,10%, sendo necessário mais de 28 horas de trabalho para adquirir o produto.

Fonte: RomaNews, com informações do Dieese.




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM