JUSTIÇA

​Polícia cumpre mandado de prisão contra marido de mulher morta em acidente de trânsito, em Itaituba
Hudson Henrique de Jesus foi preso na tarde de sábado (26). Ele está sendo investigado pelo suposto crime de feminicídio contra Ana Élita.


Hudson Henrique foi preso temporariamente. (Foto: Reprodução)

A Policia Civil cumpriu na tarde do último sábado (26), um mandado de prisão temporário contra Hudson Henrique de Jesus Falcão, marido de Ana Élita Sousa Nogueira, de 40 anos, morta em um suposto acidente de trânsito, no dia 19 de dezembro, em Itaituba.

A prisão ocorreu após a Justiça, com aval do Ministério Público, manifestar-se favorável ao mandado de prisão temporária contra o marido. Ele ficará preso durante 30 dias e será investigado pelo suposto crime de feminicídio.

A decisão se baseia no laudo do IML, que constatou a causa da morte como sendo asfixia mecânica, boletim de ocorrência, depoimentos de testemunhas e declaração de óbito.

O laudo oficial das causas da morte de Ana deve ser entregue à Polícia em até 30 dias, o qual apontará se a vítima morreu em decorrência de acidente de trânsito ou foi assassinada.

O acidente

Carro caiu em uma valeta. (Foto: Reprodução)

Uma mulher, identificada como Ana Elita Sousa Nogueira, de 40 anos, morreu na noite deste sábado (19) após um acidente de trânsito envolvendo um carro de passeio, modelo Fiat-Fiesta, no bairro Açaí, no km 5, em Itaituba. Vítima teve o pescoço quebrado no acidente.

Segundo informações repassadas à polícia, Hudson Henrique, marido da vítima, é quem pilotava o veículo no momento do ocorrido. O casal estava bebendo desde cedo na casa de um amigo, localizada no mesmo bairro, e por volta das 21h30, iniciou-se uma discussão entre os dois, o motivo teria sido ciúmes. Ainda discutindo resolveram deixar o local.

Informações policiais dão conta que a discussão teria continuado dentro do veículo e em um determinado momento a discussão ficou intensa. Ana teria tentando agredir o esposo e disse que queria descer do veículo, porém, Hudson não parou o carro. Com isso, a mesma teria dito que iria pular do veículo em movimento e tentou ação, foi quando o esposo fez o movimento para puxar Ana para dentro do veículo, nesse momento ele perdeu o controle da direção e caiu com veículo uma vala.

Com a batida, Ana Elita quebrou o pescoço e morreu na hora. Hudson ficou desacordado, foi socorrido e levado ao Hospital Municipal de Itaituba (HMI). A vítima era natural de Pindaré-Mirim, estado do Maranhão.

Família pede justiça

Os familiares de Ana Elita desconfiam que a morte da mulher é um caso de feminicídio, devido as evidências que o irmão, Valbino, teria identificado no caso, e pela declaração de óbito emitida. Em entrevista ao Giro, Valbino afirma que está inconformado, visto que pela situção em que o carro ficou "não se trata de um acidente natural, pelas evidências muito óbvias". Além disso, não se conformam em como o caso está sendo conduzido.

"Minha inconformidade é como está sendo conduzido, porque a gente tanto ouve essa divulgação do combate à violência contra a mulher, e as evidências tão claras de que isso aí se trata de um feminicídio, e o cara está arrumando as malas para ir embora, então eu quero implorar por uma atitude enérgica, esse cara já era para estar nas grades", ressaltou Valbino.
 
De acordo com Valbino, sua irmã não teria tido "tempo de gritar por socorro, o próprio filho dela se ausentou de casa, porque ele partiu para cima desse camarada em razão de ele estar agredindo minha irmã. Só que eles nunca comunicavam isso para a gente, a própria filha dela também relata que ele agrediu minha irmã", relatou.

Fonte: Portal Giro

Receba as noticias do portal Giro no whatsapp, clique AQUI.


Fale conosco ou participe do nosso grupo do WhatsApp




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM






JUSTIÇA  |   21/03/2022 16h47

Itaituba - PA